segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Apenas um papo qualquer



- Tá demorando.
- O quê?
- Essa coisa de par. Essa coisa de amor.
- Não ama porque não quer.
- Não amo porque não acho ninguém pra amar.
- Eu acho que você não procura.
- Não procuro mesmo. Não sou carente.
- Acho você muito intensa e sensível quando se apaixona. Isso não seria sinal de carência?
- Não, não, de paixão. Talvez um sinal de insegurança, mas nunca carência.
- A carência não suprida às vezes gera insegurança em um novo amor.
- Não reclamo da falta de amor.
- Reclama sim, implicitamente. Sente falta. Todo mundo sente.
- É por causa das músicas, dos filmes, das amigas, da tia que quer saber se você já está namorando, do irmão e do pai ciumentos, do Caio (Fernando de Abreu), da poesia, da conversa fiada com o moço bonito e até da danada da professora do prezinho, que ensina a desenhar coração, aquele órgão feio que é transformado em bonito no papel, sabe? É por todo mundo falar que é bom.
- E é bom.
- Não sei o quanto. Não sei se vou saber.
- Depende de você...
- Não só de mim...
- Aposto que já deixou o amor escapar...
- Sem perceber...
- Precisa ficar atenta...
- Sabe quando você dança? Às vezes, por ficar muito atenta e querer acertar o passo, acaba ficando tensa. A dança precisa de leveza, precisa que você esteja relaxada, antes de querer fazer tudo certo.
- É... faz sentido.
- Então estou fazendo certo!
- Você está DIZENDO certo. Não sei se tá fazendo.
- Eu to fazendo...
- Eu acho que você está relaxando demais. Vai acabar dormindo no ponto.
- Dormindo ou acordada, não sei qual é o ponto...
- Só você pode saber...
- (remendando) "Só você pode saber"
- ...

17 comentários:

  1. E é difícil se perceber o ponto, mas que ele existe, existe.
    Um grande bj querida amiga

    ResponderExcluir
  2. É tão difícil saber qual é o ponto... A gente só espera que um dia ele chegue...

    Muito lindo!
    Beijos*:

    ResponderExcluir
  3. Pode vir do que se espera, pode vir de surpresa...
    Nunca se sabe.

    Beijo com carinho.

    ResponderExcluir
  4. mas,não tem como adivinhar esse tipo de coisa. eu só deixo as coisas acontecerem, o que tiver de ser,será.
    P.S.: Você poderia tirar as letras de confirmação? Facilita pra quem quer comentar no seu blog (e quase sempre,a gente acaba errando as letras). Eu agradeço,se fizer isso ;)

    ResponderExcluir
  5. Nesse caso, a linha de chegada (o ponto), enfim... É ele que tem que correr atrás da gente. A gente prossegue na corrida da vida com naturalidade, até que chega a hora.

    ResponderExcluir
  6. Tem gente que se ama mais do que ama os outros e acaba achando que não consegue amar alguém, eu acho.

    Mas não é isso. É amar com liberdade, algum desapego...pode parecer frieza, mas é só um amor um pouco diferente.

    Não sei se é o caso do seu personagem, mas acabei associando a isso por ser algo em que eu estive pensando nesses dias...

    Bjs, bonita!

    ResponderExcluir
  7. eu acho ruim quando só a gente pode saber!
    as pessoas podiam saber também, pra ajudar a gente.

    ResponderExcluir
  8. Olá, amei o blog. Visite o meu e se gostar segue!
    Eu retribuirei e seguirei o seu ;)

    www.gleikka.blogspo.com

    beijo com carinho

    ResponderExcluir
  9. A obrigação de se amar alguém que faz com que ele perca o sentido. Amor é coisa simples, leve, compartilhada, adocicada. Querer amar não implica que este venha a aparecer. O importante é deixar pegar pelo amor de surpresa e pronto.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Não precisa fazer nada, é certo que aparece...no tempo certo.Como vai saber?O coração dará os indícios.;D

    Fernanda

    ResponderExcluir
  11. - tá no caminho certo sim. você escreve com o coração - não com o órgão feio, mas com aquele ensinado no pré, lindo lindo lindo.



    parabéns.
    grande abraço.

    ResponderExcluir
  12. Não acho pretensioso definir o ser humano em carinho e carência.

    ResponderExcluir
  13. carencia define muita gente
    vc me surpreendeu com esse dialogo de verdade

    fiz dialogos no blog mas sao pesados
    mt pesados


    talentosissima morena

    ResponderExcluir
  14. Minha xará

    Um agradável diálogo. Daria uma interessante peça teatral.Há tempos atrás minha filha fez um monólogo baseado na peça de Tenesse Willians e a vi ensaiando
    diante do espelho.Achei lindo.

    Um lindo final de semana
    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Oi Elisa!!
    Puxa, mas que papo cabeça hein... ^^)
    Um belo conflito entre a vontade de amar, o medo de não ser correspondido e comodismo em ficar parado. Ficou muito bom!
    Bjuss

    ResponderExcluir
  16. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Parece eu conversando com um amigo meu! As conversas são desse jeitinho. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Me identifiquei muito.
    E ficou ótimo o texto. Não sei se a conversa rolou de verdade ou só na sua imaginação, ainda assim, foi um ótimo diálogo.

    Beijos.

    ResponderExcluir