sábado, 16 de junho de 2012

Com soneto e saudade

Queria te encontrar segunda-feira,
Tocar-te-ia a pele incontinênti,
pra nunca mais ficar tão descontente,
falar-me-ia um monte de besteira.

Cantar-te-ia os sonhos desatados
- pois ‘nós’ se transformaram em pronome,
 juntando nossas vidas, que eram fome,
em canto de dois jovens saciados.-

Queria debruçar-me no teu peito,
Ser novamente a dona do teu leito,
Trancafiar-me em teu tímido afago.

Queria te encontrar também na terça,
Beijar-te-ia quarta, quinta, sexta,
Pra que tu não se percas no passado.

10 comentários:

  1. Suspiros ad eternum, Elisa. Ler você é sempre um prazer.

    ResponderExcluir
  2. E quantas saudades.. e quantos sonhos...amores...nós...e sóis em beijos inteiros.

    ResponderExcluir
  3. nunca vi mesóclises tão bem encaixadas, tão bem sentidas.

    ResponderExcluir
  4. Como são lindos os quereres dos amantes!

    Beijinho, moça!

    ResponderExcluir
  5. um encanto de poema. parabéns. voltarei mais vezes aqui. grande abraço.

    ResponderExcluir
  6. Mandou bem hein... poema romântico e sensual, gostei.
    E no formato de soneto. Você ta cada vez melhor.

    Bjuss

    ResponderExcluir
  7. E na sexta, sabado e domingo, lembraria dos seus afagos...

    lindo!

    ResponderExcluir
  8. Nossa
    minha xará, arrasou.

    muito bom.
    bjs

    ResponderExcluir
  9. Você é uma das únicas pessoas que me faz gostar de rima. Gosto de te ler, menina.
    Não é que isso pega? Afinal de contas, todos brincamos, alguma dia, ser ser poeta. Ih, de novo...
    Abraços!

    ResponderExcluir