quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Quem arrisca... SÓ petisca?




Arrisco um pouco mais... e erro
Ninguém é de ferro,
pode averiguar!

Arrisco falar o que quero,
ir distante de zero,
sem recomeçar...

Arrisco falar com esse moço
de um sonho proposto
para se viver...

Arrisco e, por isso, petisco
Mas, por vezes, eu risco
e arrisco a inércia
- também é um risco-

Mas chega um dia em que eu digo:
quero jantar mais que somente petiscos




19 comentários:

  1. Oi, Elisa. Obrigado pela sua visita e comentário lá no meu humilde bloguezinho! :)

    Quem arrisca não petisca,tá certo. Aí tem quem pense: "Arriscar pra quê? Tô bem assim." Olha a inércia. Viver é correr riscos - parece algo da Clarice Lispector, vou lançar no twitter! rsrs :P

    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Oi Elisa!
    Outro poema cheio de rima do jeito que eu gosto, hehehehe... você sabe lidar muito bem com as palavras ;D

    Bjuss

    ResponderExcluir
  3. É arriscando que se petisca, e é petiscando que encontramos o que queremos, e chegamos a algum lugar. Ficar parado é privar-se dos riscos, e qual a graça de viver, sem petiscos?

    Adorei o poema, Elisa.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. É preciso saber dosar arriscar e afugentar, o risco faz bem, mas o medo nos protege também ! Poema com balanço, gostoso de ler !

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Você é a melhor em brincar com as palavras adoro isso. E quem não petisca não sabe o que é viver... ;D

    ResponderExcluir
  6. Pois arriscar é necessário. É arriscando que chegamos onde queremos.

    Beijo

    ResponderExcluir
  7. Brincadeira verdadeira. Amei sua forma de exalar sentimentos e pensamentos.

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem?
    O comentário a seguir será dividido em duas partes, a primeira (que é do famoso "CTRL C" e "CTRL V") é uma justificativa pela minha ausência nestas semanas por aqui e a segunda se trata do post que acabei de ler.
    PARTE 1: Peço perdão pela minha ausência no seu blog, como eu já havia justificado em janela pop up no "Essência da Palavra" tive de me ausentar por motivos de reforma na casa. Elas, na verdade, ainda não acabaram mais agora já foi possível montar o computador, e ligá-lo. Peço que compreenda! Obrigado!
    PARTE 2: Eu já disse que fico sem palavras ao ler cada texto seu... Sempre após cada leitura a palavrinha que frisa em minha mente é "Parabéns", "parabéns", "parabéns"... Enfim, acho incrível a forma como escreve, como rima, como combina cada verso do seu poema! Você tem um talento surpreendente e viciante... Que saudade estava do seu poema!

    Forte Abraço, Wesley Carlos.

    ResponderExcluir
  9. O maior risco é não arriscar. Se não, de que outra forma se janta mais do que petiscos? ;)

    ResponderExcluir
  10. Verdadeiro e com um bonito senso de humor, esse poema.
    Beijo grande.

    ResponderExcluir
  11. Eita coisa boa de ler!
    Elisa, você escreve lindamente.Amei seu texto.

    E tenho certeza que terá.
    Beijo linda

    ResponderExcluir
  12. Seu jeito de brincar com as palavras é unico.; Continue :D

    ResponderExcluir
  13. Oi tudo bom? Então, é a minha primeira visita aqui no seu e poxa, estou adorando! Estou seguindo e voltarei mais vezes!

    Também tenho um blog, passa por lá? Te deixo o link dele:
    http://25conto.blogspot.com/

    Abraços!

    ResponderExcluir
  14. Arriscar tem suas vantagens. Mas, também tem as suas desvantagens. Eu sugiro que arrisque com cautela ^^

    Aderi ao blog

    ResponderExcluir
  15. O melhor mesmo é arriscar, sem dúvida alguma! Um grande beijo.

    ResponderExcluir
  16. Arriscar é sentir o vento quente esfriar-nos no rosto ou vice-versa *

    É o melhor mesmo!

    sigo, gostei muito * se qusieres passa pelo meu e segue*
    beijinhos,
    pensando com arte.

    ResponderExcluir
  17. é exatamente isso: tem dia que só petiscos não satisfazem

    ResponderExcluir
  18. Sim, devemos sempre arriscar!

    Gostei do blog!


    Até mais!

    ResponderExcluir